Costa de Amalfi

Costa de Amalfi

Dia 5-7: Sul da Itália e casa!

Saímos de Roma no dia 23, alugamos um carro (na Sicily By Car) para ir até Vietri Sul Mare e conhecer a Costa amalfitana e Pollica, cidade de onde vieram os antepassados do Maurício. No caminho passamos por Nápoles para comer uma pizza e conhecer a Piazza Plebiscito.

Minha impressão de Nápoles não foi das melhores, mas certamente foi melhor do que a do Maurício que estava impaciente para sair daquela cidade (e ele gosta muito da Itália, diga-se de passagem). Acho que Nápoles está precisando de uma revitalização… Já li muita gente falando mal de Napoles, de perigo e etc etc… Mas eu não concordo com as coisas que li. A cidade parece perigosa, mas sinceramente, pra quem vem do Rio de Janeiro pelo menos, aquilo é tranquilo. Acho que aqui na Europa “parecer” perigoso não quer dizer muita coisa. O perigo está nas pessoas e não nos ambientes.

Nosso carrinho alugado (Panda)

Nosso carrinho alugado (Panda)

Bom, mas uma coisa que estava me irritando muito em Nápoles era a minha fome. Paradoxos da vida, eu estava em Nápoles e com fome!! Queríamos comer uma boa pizza napolitana e fizemos uma pesquisa na internet já lá. Achamos L’Antica Pizzeria da Michele. Péssima ideia pra quem está com fome. Pegamos uma senha para entrar, voltei uma hora e meia depois e não estava nem próximo do meu número. Andei pela cidade histórica enquanto Maurício reclamava do quanto a cidade era feia enquanto esperava. Fiquei me perguntando se deveríamos pegar o carro e ir logo para a costa e comer por lá em um restaurante italiano de algum chines ou se deveríamos esperar a famosa pizza da pizzaria do filme “Comer, rezar e amar”.

O nosso tempo era curto e acabou que desistimos da pizza da Pizzeria da Michele. Checamos o TripAdvisor novamente para encontrar outra boa pizzaria por ali, mas só andamos e andamos e demos de cara com uns 5 restaurantes fechados. Meu estomago a essa altura já tinha se comido e consegui forças para ir até a Piazza Plebiscito.  Demos mais umas voltas, demos de cara com mais restaurantes fechados e comemos novamente no Rossopomodoro. Essa praga desse restaurante está em toda Itália mesmo? Veneza, Roma e agora em Nápoles. É um restaurante napolitano, mas o review dele em Nápoles não era muito bom. Eu gostei da minha pizza, mas, não só por uma sucessão de cantadas de funcionários numa ida ao banheiro (to me perguntando até agora o que foi aquilo), achei o atendimento ruim (pudera!).

Pizza (massa integral) no Rossopomodoro.

Pizza (massa integral) no Rossopomodoro.

Castel Dell'ovo - Nápoles

Castel Dell’ovo – Nápoles

Para a alegria do Maurício, estava finalizada a nossa tarefa em Nápoles: comemos pizza! Pegamos o carro novamente em direção a Costa Amalfitana. Passamos pelo vulcão Vesúvio, pelo por do sol na estrada e chegamos a noite em Vietri Sul Mare. Ficamos em um flat alugado pelo Airbnb. Nossa anfitriã cedeu a vaga de estacionamento dela (porque se não seria 2 euros a cada hora de estacionamento, inclusive a noite), nos deu umas boas dicas de como se locomover por lá e uma garrafinha de Limoncello feito por ela! Que amor! Tomamos na beira do mar a noite.

Limoncello é um licor italiano de limão. No norte é chamado de limoncino e eu só descobri isso em Cinque Terre numa outra viagem (Post sobre 5 terre aqui: http://rivelloskitchen.com/cinque-terre/).

Vulcão Vesúvio

Vulcão Vesúvio

Limoncello caseiro

Limoncello caseiro

Vietri Sul Mare é uma região de praia muito agradável e de fácil acesso ao resto da Costa Amalfitana. Nosso tempo era curto, pegamos um ônibus para Salerno e uma barca para Amalfi. De Amalfi pegamos um ônibus para Ravello. Digirir entre as cidades da costa amalfitana não é uma boa ideia. Andar de ônibus também não… A estrada é estreita e a beira de um precipício, não tem lugar para estacionar, os ônibus são lotadérrimos, demoram muito, são disputados a empurrões e muitos não tem ar condicionado. Passamos por uma amostra desse perrengue numa escala bem menor na volta de Ravello para Amalfi. Pra mim, deixaria de ser diversão conhecer todas as cidades numa única viagem naquelas condições. Gostei de curtir um pedacinho pequeno da costa, mas bem relaxada.

Em Salerno também tem as barcas para Ilha de Capri, que não tivemos tempo para conhecer, mas que é um lugar lindo.

Porto de Salerno

Porto de Salerno

No barco de Salerno para Amalfi

No barco de Salerno para Amalfi

Ravello

Ravello

 

Horta orgânica de um restaurante em Ravello

Horta orgânica de um restaurante em Ravello

No dia 25, acordamos bem cedinho e pegamos o carro para Pollica. Levamos o café da manhã e fizemos um pic nic na praia em Acciaroli assim que chegamos. Conhecemos um pouco da Comune di Pollica de carro e voltamos para Nápoles para entregar o carro e pegar o avião de volta para Amsterdam.

Pollica

Pollica

E essa receita aqui em baixo é a receita siciliana de limoncello que pretendo fazer e postar aqui o passo a passo em breve. Não tão breve porque demora para ficar pronto, mas o quanto antes porque estou super ansiosa para fazer eu mesma meu limoncello!

Receita:

Limão siciliano orgânico – 7 unidades
Álcool de cereais – 750ml
Açúcar 2.2 copos (copo de 240ml)
Água – 4.5 copos

Descasque os limões com cuidado para não pegar aquela parte branca de dentro. Por usar a casca, acho importante serem orgânicos.
Deixe as cascas descansando no álcool por 2 semanas.
Depois faça uma calda de açúcar com a água e misture com o álcool coado.
Misture com uma colher e deixe descansar por mais uma semana.

Salute!

immagine-2